Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Este texto, também conhecido como Batracomiomaquia, é vulgarmente atribuído a Homero. A trama é simples:

 

Um sapo tenta ajudar um rato a cruzar um lago. Contudo, a meio da viagem deparam-se com uma serpente marinha e o sapo tem de mergulhar, fazendo involuntariamente com que o rato morra afogado. Um outro rato vê estes eventos e menciona ao seu povo que um sapo matou um dos ratos. Isto leva a que os ratos declarem guerra aos sapos. Segue-se uma descrição da batalha, até que os ratos começam a ganhar vantagem face aos seus opositores. No final, e para impedir o extermínio dos sapos, Zeus envia uma força de caranguejos, cuja armadura os ratos não conseguem penetrar, tendo então de retirar-se.

 

O mais interessante nesta obra parece-me ser a capacidade do autor em pegar num estilo mais direccionado para o épico e usá-lo numa simples paródia. Quem for ler a obra em questão (uma tradução inglesa está disponível neste link), e já tiver lido a Ilíada, poderá até notar as semelhanças entre as duas obras, como a aparição de deuses (Zeus e Atena) ou as descrições dos combates, entre outras. Ainda assim, e contrariamente ao que sucede em vários épicos, esta obra é de fácil leitura, assemelhando-se até, pela sua simplicidade, a uma fábula de Esopo.

 

 

Contudo, e em relação a esta obra, existe uma outra questão a ter em mente - será que o seu autor foi realmente Homero?

 

Não me parece, não só pelo facto de Plutarco dar outra autoria a esta obra, mas porque pode ter sofrido de um mal muito frequente na literatura da época - a atribuição de múltiplas obras a autores famosos, sem que existam provas reais para tal. É, quem sabe, o equivalente antigo de algo frequente nos dias de hoje, a "descoberta" (notem-se bem as aspas) de novos textos após a morte de um dado autor, que descendem não da mão do falecido mas da de alguém que procura uma fama rápida. Nesse sentido, se Homero é o melhor exemplo do épico da altura, o uso do seu nome nesta obra (ou em obras similares), torna-se bastante lógico...

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De BAdS a 30.11.2010 às 03:21

Sobre a autoria dos textos antigos, convém que nos lembremos duma outra coisa: muitas vezes a obra toma o nome daquele que origina o pensamento (ou o seu maior vulto) da escola em que se insere a mesma. É assim que encontramos, por exemplo, epístolas assinadas por S. Paulo, mas que, pela exegese e crítica textuais, se revelam muito posteriores ao falecimento daquele. Claro, e como bem apontas, havia também uma óbvia vontade de publicitação...
Sem imagem de perfil

De Miguel Monteiro a 20.11.2010 às 01:59

Olá! Vê aqui o segundo volume.

Continuação de bom blog!

http://www.fluirperene.com/biblioteca.html

Comentar post



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.
Licença Creative Commons



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog