Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Normalmente, quando alguém procura provas sobre a existência história de Jesus Cristo depara-se, uma e outra vez, com uma menção às palavras de Flávio Josefo em Antiguidades Judaicas. Apesar de existirem várias menções a figuras de nome "Jesus", aquela que para nós é mais relevante acaba por ser mencionada somente duas vezes. Veja-se, então, uma tradução em inglês dessas passagens:

 

 

Now there was about this time Jesus, a wise man, if it be lawful to call him a man; for he was a doer of wonderful works, a teacher of such men as receive the truth with pleasure. He drew over to him both many of the Jews and many of the Gentiles. He was [the] Christ. And when Pilate, at the suggestion of the principal men amongst us, had condemned him to the cross, [in April 3, A.D. 33] those that loved him at the first did not forsake him; for he appeared to them alive again the third day; [April 5, A.D. 33] as the divine prophets had foretold these and ten thousand other wonderful things concerning him. And the tribe of Christians, so named from him, are not extinct at this day.

Antiguidades Judaicas, livro XVIII, 3.3

 

 

(...) Festus was now dead, and Albinus was but upon the road; so he assembled the sanhedrim of judges, and brought before them the brother of Jesus, who was called Christ, whose name was James, and some others, [or, some of his companions]; and when he had formed an accusation against them as breakers of the law, he delivered them to be stoned (...)

Antiguidades Judaicas, livro XX, 9.1

 

 

A primeira passagem, a mais conhecida das duas, já foi profusamente comentada ao longo dos séculos. Pessoalmente, acho que a referência a "Ele era o Cristo" é uma interpolação mais recente, até pela forma como uma expressão semelhante é usada na segunda passagem. De um ponto de vista muito básico, pense-se até no seguinte: se esse Jesus era efectivamente "o Cristo", na acepção judaica da expressão, porque lhe dedicaria o autor tão pouca informação, ainda para mais quando dedica dezenas de parágrafos a outras figuras?

 

Quanto à segunda passagem, bem menos conhecida, tem interesse pela menção ao facto de Jesus, "que era chamado Cristo", ter um irmão. Compara-se a referência a este Jesus com a anterior e chega-se a uma ligeira alteração de palavras que diz muito mais do que poderíamos esperar.

 

Quanto ao resto desta obra - Antiguidades Judaicas - pareceu-me ter algum interesse pelo facto de apresentar uma história do povo judaico um pouco diferente daquela que aparece no Antigo Testamento. Do ponto de vista da Mitologia Clássica esta obra talvez não tenha muito interesse, mas a referência a alguns costumes e tradições judaicas são certamente muito importantes para quem estiver estudar a história do Judaísmo.

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog