Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Thor

24.08.05
Foi-me pedido um artigo sobre esse deus da mitologia nórdica. Informação sobre este (e o respectivo martelo) podem ser vistas n'esta página , pois hoje estou cansado demais para postar eu próprio um artigo sobre o deus em questão.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Paty a 24.08.2005 às 20:26

Obrigada, aquele site tem coisas muito interessantes, não só sobre isso :)
Sem imagem de perfil

De Mystery a 31.08.2005 às 17:13

Filho de Frigo e de Odin e esposo de Sif, de quem houve Trudr. Deus da guerra, dos relâmpagos e do trovão, entre os povos germânicos do Norte, é o mesmo Donar entre os germanos do Sul. Preside ao ar e às estações, e protege os fracos. Habita no palácio Bilskirne, e avança para o combate num carro puxado por bodes. O ruído do trovão era atribuido ao rodar desse carro, bem como à sua poderosa voz, da qual se originou sua denominação de Hlorridi ( o rugidor ). Teve dois filhos: Mod a coragem ) e Magur ( a força ). Inimigo mortal dos gigantes, ameaça-os, sem cessar, com o seu martelo ( Mjolnir ). Deve morrer no último crepúsculo do mundo, depois de ter morto a serpente Yormungard. São seus atributos seu martelo e o cinto Megingard que lhe duplica a força quando apertado. Certa vez, Thor, ao despertar, não encontrou seu martelo; o gigante Thrym, que o havia furtado e escondido na terra, a oito milhas de profundidade, prontificou-se a restituí-lo, sob condição de lhe ser dada Freya por esposa. Thor, aconselhado por Heimdall, vestiu-se então com roupas de Freya e, assim disfarçado, dirigiu-se, em companhia de Loke, à casa do gigante. Este recebeu-os, alegre e festivamente, e procurou beijar suposta noiva; mas, quando levantou-lhe o véu, retrocedeu apavorado ante o chamejar dos olhos que descortinara. Loke, procurando explicar esse horrível aspecto, disse-lhe haver Freya passado oito noites sem dormir. Aceitando a explicação, Thrym foi buscar o martelo e entregou à suposta noiva para, com ele, se santificarem as bodas. Mas, apenas Thor se viu de posse da sua arma, com ela matou Thrym e os demais gigantes que o rodeavam. Em uma outra lenda, vêmo-lo em luta com o gigante Geirrod: Loke tendo voado até Rieseheim, em figura de falcão, própria de Freya, foi ali cair em poder de Geirrod, que declarou só lhe daria liberdade se Thor fosse buscá-lo, sem o seu martelo e sem o cinturão mágico. Aceitando a condição, Thor seguiu completamente desarmado. Mas, em caminho, tendo pousado em casa da gigante Grid, mãe de Bidar, e aí havendo revelado o objetivo da sua viagem, a giganta, advertindo-o da imprudência, armou-o com um cinturão de força, luvas de ferro e uma vara mágica. Prosseguindo a viagem, Thor atravessou um rio, cavalgando a vara, e chegou, finalmente, à casa do gigante, cujas filhas o receberam agressivamente, arremessando-lhe pedaços de ferro incandescentes. Thor calmamente recolheu tais pedaços, com as suas luvas de ferro, e, em seguida, os arrojou contra o gigante, derrubando-o, juntamente com a coluna atrás da qual ele se havia ocultado. Ainda, em luta com gigantes, narra-se a seguinte lenda: Os deuses tendo celebrado um banquete no palácio de Aegir, deus do mar, andaram à procura de uma caldeira de hidromel capaz de conter cerveja para todos os comensais. Thyr, informado que o seu pai, o gigante Hymir, morador na fronteira do céu, tinha uma de uma milha de profundidade, Thor para lá se dirigiu em sua companhia. Hymir não se achando presente, a sua esposa recebeu os visitantees e fê-los se esconderem debaixo duma caldeira. Pouco depois chegou o gigante e, ao ter notícia da visita, se enfureceu de tal forma que, com a força do seu olhar, derrubou pilastras e vigas, e fez em pedaços, sete caldeiras, só restando intacta aquela debaixo da qual estavam os deuses. Estes sairam, então, do seu esconderijo, e Hymir reconheceu antigo inimigo dos gigantes; mas os deveres de hospitalidade o impediram de qualquer agressão. Preparou-se a comida e, dos três bois que foram servidos, Thor devorou dois. Em seguida, partem todos para a pesca. Lançados os anzóis ao mar, o gigante pesca baleias enquanto Thor fisga a serpente Midgard; mas aquele corta a linha deste e o monstro volta ao mar. Por fim, retornam os pescadores, e Thor conduz, sobre os ombros, o barco e as baleias, para, em seguida a esta ostentação de força, reclamar a caldeira. Mas Hymir nega-se a atendê-lo, e declara que só a entregaria se Thor conseguisse quebrar um vaso de cristal que se achava sobre sua cabeça. Aceitando o desafio, Thor espatifou o vaso e, ato contínuo, se apossou da caldeira e retirou-se, levando-a para o palácio de Aegir. Vendo-se assim vencido, o gigante reuniu sua gente e partiram todos em perseguição a Thor; mas este deu-lhes combate e os aniquilou.

Comentar post



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e dois anónimos interessados nestes temas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog