Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Qual é o teu signo?"... hoje, ouvimos perguntas como essa com a maior das naturalidades, sem sequer pensar em toda a história por detrás de cada uma das possibilidades, mas posso dizer que existem curiosas histórias escondidas em cada um dos signos do Zodíaco. Claro que não são as histórias originais, as primeiras, as que estavam por detrás da criação inicial de cada signo (uma amiga que percebe mais destas coisas disse que essas remontariam aos Caldeus, ou seriam até anteriores a eles), mas nem por isso se tornam menos interessantes. Aqui ficam elas, numa forma sintetizada e conforme referidas não só no livro de Lúcio Ampélio (o mesmo que, recentemente, foi por cá mencionado) mas também em várias outras fontes:

 

- Carneiro - o carneiro que transportou Frixo e Hele, mais conhecido pelo seu papel na história dos Argonautas. Porém, também pode ser um carneiro que ajudou Baco a encontrar água, numa incursão à Índia, e que viria a ser divinizado sob a forma de Júpiter Amon;

 

- Touro - num dos mitos mais famoso, este seria o touro (seja enquanto transformação de Júpiter, ou um vero touro, mediante a fonte) que transportou Europa até Creta;


- Gémeos - na versão mais famosa são Castor e Pólux, mas o autor também refere a possibilidade de serem Hércules e Teseu;

 

- Caranguejo - um caranguejo que, a mando de Hera, ataca Hércules no seu segundo trabalho. Segundo algumas versões foi o próprio herói que o atirou aos céus, mas noutras ele foi morto por Hércules e colocado entre as estrelas pela mesma deusa que o tinha enviado;


- Leão - o Leão da Nemeia, vencido e morto por Hércules no seu primeiro trabalho;


- Virgem - a Justiça, colocada entre os céus por Júpiter. Também poderia ser Erígone, filha de Icário, ou Astreia;


- Balança - uma balança "normal", mas importante pela sua simbologia e relação com a Justiça;


- Escorpião - o animal que matou Oríon (que, ironicamente, está colocado ao seu lado nos céus);


- Sagitário - o centauro Quíron, colocado nos céus após abdicar da sua imortalidade;

 

- Capricórnio - o deus Pã, ou a cabra Amalteia, que amamentou Júpiter na sua infância;

 

- Aquário - Ganimedes, transportado para o Olimpo pelos deuses, de forma a servir bebidas nos festins. Também poderia ser Cécrope;

 

- Peixes - uma das transformações de Vénus e Cupido durante a guerra contra os Gigantes, estando unidos para não se perderem um do outro.

 

 

Como qualquer leitor conseguirá notar, a forma mais comum de colocação entre as estrelas passava pela realização de feitos notáveis, eventualmente premiada pelos deuses. Claro que existem excepções, como no caso do Aquário ou da Balança, mas será que o mesmo se passa com as constelações? Infelizmente não as posso mencionar todas por cá (Ptolomeu mencionava 48), mas posso dizer que essa tendência também se parece manter no caso das constelações... 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e dois anónimos interessados nestes temas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog