Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Esta expressão já ocorria nas Vidas Paralelas de Plutarco, inserida num relato da vida de Cícero.

O seu significado remete-nos essencialmente para a ideia de que devemos sempre agir de uma forma que nos apresente acima de todas as suspeitas, mesmo que nada de errado tenhamos feito. Poderíamos até recordar a história de um dado político português, "engenheiro", que, face a um conjunto repetitivo de processos em tribunal, se defendeu repetidamente dizendo que andava a ser perseguido, argumento que só convence aqueles que nele sempre acreditariam, mesmo face a qualquer tipo de prova real em contrário. Isso não o faz parecer honesto, mas muito menos o será.

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog