Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Astronómica Poética, ou Da Astronomia, de Higino, contém as histórias mitológicas de mais de quatro dezenas de constelações e corpos celestes. Claro que existem várias outras obras sobre esse tema, mas esta tem a particularidade do autor apresentar, para cada uma delas, não só o mito mais conhecido, mas também várias versões que suportam outras possibilidades, muitas vezes citando ideias de autores que, para nós, hoje, são nada mais do que nomes. Dada a singularidade de alguns momentos da obra, achei que devia deixar por cá alguns exemplos:

 

Relativamente a Andrómeda, após contar a história, Higino remata com "About her Euripides has written a most excellent play with her name as title", uma peça que não nos chegou aos dias de hoje.

 

Sobre o mito de Perseu, figura também colocada entre as estrelas, o autor dá-nos alguma informação adicional, menos conhecida: "When sent by Polydectes, son of Magnes, to the Gorgons, he received from Mercury, who is thought to have loved him, talaria and petasus, and, in addition, a helmet which kept its wearer from being seen by an enemy. So the Greeks have called it the helmet of Haides [the Unseen One], though Perseus did not, as some ignorant people interpret it, wear the helmet of Orcus himself, for no educated person could believe that. He is said, too, to have received from Vulcan a knife made of adamant, with which he killed Medusa the Gorgon. The deed itself no one has described".

 

O mesmo autor também nos reconta um mito a ter lugar em Portugal, relativo à constelação do Ofiúco: "Polyzelus the Rhodian, however, points out that this is Phorbas, who was of great assistance to the Rhodians. The citizens called their island, overrun by a great number of snakes, Ophiussa. In this multitude of beasts was a snake of immense size, which had killed many of them; and when the deserted land began finally to lack men, Phorbas, son of Triopas by Hiscilla, Myrmidon’s daughter, when carried there by a storm, killed all the beasts, as well as that huge snake. Since he was especially favored by Apollo, he was put among the constellations, shown killing the snake for the sake of praise and commemoration. And so the Rhodians, as often as they go with their fleet rather far from their shores, make offerings first for the coming of Phorbas, that such a happening of unexpected valor should befall the citizens as the opportunity for glory which brought Phorbas, unconscious of future praise, to the stars."

fontes

 

Esta é, então, uma obra simples na sua forma mas complexa no seu conteúdo, pelo facto de recontar diversos mitos e histórias para as quais, infelizmente, não temos qualquer outra fonte, e sobre as quais muito dificilmente poderíamos verificar se estão correctos. Se muitos dos mitos aqui constantes são bem conhecidos, já outros são muito obscuros, mas não deixam de ser igualmente interessantes. Para quem se interessar pelo tema, aqui fica a referência a esta obra!

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog