Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A expressão "Calcanhar de Aquiles" é ainda hoje usada para designar uma qualquer fraqueza particular em algo. Assim, ao dizer-se algo como "O calcanhar de Aquiles daquela equipa é a defesa", pretende-se dizer que o seu ponto fraco era a incapacidade para defender correctamente. Muito simples, até porque a expressão é sobejamente conhecida, mas de onde vem ela?

 

Descortinar essa história é muito menos simples do que nos poderia parecer. Na Ilíada não existe qualquer referência a uma especial vulnerabilidade que Aquiles possa ter tido, até porque este herói é aí ferido e sangra. Saltando alguns séculos mais à frente, é somente já no início da nossa era que um primeiro autor, Estácio, alude a uma pequena história na qual este herói, ainda muito jovem, tinha sido banhado pela mãe no rio Estige; isto deveria torná-lo invencível, mas como Tétis o segurou por um dos calcanhares, a figura teria sempre essa vulnerabilidade. Poderíamos então pensar que teria sido Estácio, na sua incompleta Aquileida, a originar a expressão, mas a verdade é que nos muitos séculos que separam os Poemas Homéricos desta criação latina existem múltiplos vasos que têm representados alguma sequência da morte de Aquiles, com o herói a ter, muito frequentemente, uma flecha a trespassar um dos pés.

 

Teria ele morrido dessa ferida? Estaria a flecha envenenada? Muitas poderiam ser as questões relativas ao episódio mitológico, mas seriam um pouco secundárias para o tema aqui em discussão. Nas fontes a que ainda temos acesso, a ideia de uma vulnerabilidade do herói só aparece, como já dito, no primeiro século da nossa era, vindo depois a ser popularizada não através de uma única obra - como poderíamos crer - mas de todo um conjunto de obras que, ao longo dos séculos, a foram repetindo. Esta é, portanto, uma ideia de um autor desconhecido, que a cultura popular foi disseminando com o decorrer do tempo.

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog