Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Esta é uma história relativamente famosa, mas que no entanto nunca é demais recordar. Conta que o rei Hieron II (ou Hierão) um dado dia decidiu mandar fazer uma coroa votiva para um templo. Esta deveria ser feita com todo o ouro que o rei tinha fornecido, mas como ter a certeza que essa promessa foi cumprida? Poderia parecer uma questão complicada, razão pela qual o rei se aproximou de Arquimedes e pediu a sua ajuda para descobrir a verdade.

 

Também Arquimedes teve alguma dificuldade em descobrir a resposta, até que, um dado dia, ao ir tomar banho notou que quando se imergia na banheira o nível da água subia. Ficou tão surpreso com a situação que, segundo nos é dito, gritou "Eureka! Eureka!" enquanto corria nu pelas ruas de Siracusa.

 

Foi este mesmo princípio que Arquimedes depois usou para saber a densidade da coroa, o que lhe resolveu o problema, mas esta mesma história também tem um aspecto muito menos conhecido - afinal de contas, era a coroa de ouro maciço ou não? Segundo Vitrúvio parece que o comerciante tinha mesmo enganado o rei, ficando com parte do ouro para si e fazendo a coroa com menos ouro e mais prata. Assim se resolveu o mistério!

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog