Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O mito de Proteu já cá foi brevemente tratado antes (ver aqui), mas esta expressão leva-nos novamente de volta ao seu tema.

O elemento principal desta figura mitológica é, naturalmente, a capacidade de se metamorfosear. Por essa razão o deus tende a ser representado em plena transformação, como na gravura acima, proveniente dos Emblemas de Alciato. Visto que já aparecia na Odisseia homérica, a fama das metamorfoses do deus sempre foi grande (é mencionado também por Aristófanes, Horácio e Luciano, entre muitos outros), mas a que se deve a expressão aqui citada? Parece levar-nos não tanto à capacidade de mudar a sua forma real (algo que seria verdadeiramente incrível num ser humano), mas referir-se àquelas coisas que mudam frequentemente as suas "formas". Se, por exemplo, tivermos um amigo que está constantemente a mudar de opinião, poderíamos dizer-lhe que é "mais mutável que Proteu", mas também o poderíamos dizer do nosso contemporâneo preço dos combustíveis automóveis.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.
Licença Creative Commons



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog