Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O mito de Niobe

02.04.15

Na sua versão mais conhecida, o mito de Niobe é o de uma mãe que, ao ter 14 filhos, sete de cada sexo, se considerou superior à deusa Leto (que só tinha dois gémeos, Apolo e Artémis). Então, essa divina figura vingou-se pedindo aos próprios filhos que matassem os muitos rebentos de Niobe, levando-a a uma enorme tristeza e ao suicídio.

 

Parténio, porém, conta uma versão do mito que é ligeiramente diferente. Se também aqui Niobe ofende Leto, essa é uma disputa que parece dever-se à beleza das crianças, mais do que ao seu número. A vingança dos deuses (que, aqui, não são identificados explicitamente) tem lugar ao longo de três momentos - o marido de Niobe morre durante uma caçada; o pai de Niobe apaixona-se por ela; quando a filha o rejeita, esse invulgar pai convida os netos para um banquete e queima-os vivos. É na sequência dessas acções que, também nesta versão, Niobe se suicida, atirando-se de um rochedo, e que o pai desta também acaba por se suicidar de forma desconhecida.

 

Este é, portanto, mais um daqueles mitos que instava a uma prudência face aos deuses, já que a sua vingança, quando eram desafiados, podia ser terrível, como é aqui tão bem visto, sendo esta até uma moral muito repetida nos mitos gregos.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e dois anónimos interessados nestes temas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog