Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Meton de Atenas, um escritor do século V a.C., foi famoso pelos seus trabalhos na área da astronomia. As suas obras estão perdidas, mas uma das suas ideias mais singulares ainda nos chegou - segundo ele toda a existência iria cessar quando os sete planetas (os por ele já conhecidos) se alinhassem na casa celeste de Aquário. Não temos a certeza de quando isso irá ter lugar, mas presumimos que não será hoje.

 

Bom ano de 2017!

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aqui fica um outro vídeo, em Inglês, este sobre diversos mitos nórdicos.

(Legendas automáticas para o vídeo podem ser activadas clicando na roda dentada)

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Santa Eugénia de Roma, quando ainda era nova, fugiu de casa, disfarçou-se de homem e acabou por se juntar a uma ordem religiosa masculina. Depois, um dado dia, curou miraculosamente uma mulher, e como forma de "agradecimento" esta última tentou seduzi-la, mas sem sucesso. Zangada, a mulher acusou-a de adultério e a santa foi levada a tribunal, onde o juiz era ainda o seu pai. Este não a reconheceu - recorde-se que Eugénia continuava disfarçada de homem - e o caso ia ser perdido, até que a santa levantou a roupa, expôs os seus seios (como dizem algumas histórias bizantinas) e declarou a sua verdadeira identidade. Foi logo exonerada do crime que não tinha cometido, mas acabou por ser, alguns anos mais tarde, morta numa perseguição aos cristãos - foi decapitada na data de 25 de Dezembro.

 

Esta história tem, no entanto, um aspecto adicional - conta a história que, alguns séculos mais tarde, as relíquias desta santa foram trazidas para Portugal, onde ainda estão presentes numa igreja da zona de Rio Covo (Barcelos). Fica a informação, caso alguém deseje visitá-la!

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Uma tradução integral das Quilíadas, de Tzetzes, está agora disponível aqui, o que marca a conclusão desta quinta tradução patrocinada por nós.

 

O que dizer sobre esta obra? Seremos mais breves do que devíamos, para suscitar um maior interesse no leitor - era talvez uma das grandes obras sobre Mitologia que ainda não existia traduzida, e o seu grande encanto passa pelo facto do seu autor preservar algumas versões de mitos que desconhecemos de quaisquer outras fontes. Valerá a pena ser lida, nesta tradução em Inglês, quanto mais não seja por essas suas informações invulgares, e esperemos que gostem desta espécie de prenda natalícia.

 

Fica também uma despedida, a de um colaborador e amigo cujo grande objectivo foi o de assegurar que esta tradução chegava mesmo a bom porto, e que já há muito tinha tomado esta decisão de se retirar. Boa sorte e obrigado por todos estes anos.

 

E, para todos os leitores, ficam os votos de um Bom Natal!

Primeira Árvore de Natal

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aqui fica um outro vídeo, em Inglês, acerca da criação do mundo nos mitos nórdicos.

(Legendas automáticas para o vídeo podem ser activadas clicando na roda dentada)

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esta é uma história relativamente famosa, mas que no entanto nunca é demais recordar. Conta que o rei Hieron II (ou Hierão) um dado dia decidiu mandar fazer uma coroa votiva para um templo. Esta deveria ser feita com todo o ouro que o rei tinha fornecido, mas como ter a certeza que essa promessa foi cumprida? Poderia parecer uma questão complicada, razão pela qual o rei se aproximou de Arquimedes e pediu a sua ajuda para descobrir a verdade.

 

Também Arquimedes teve alguma dificuldade em descobrir a resposta, até que, um dado dia, ao ir tomar banho notou que quando se imergia na banheira o nível da água subia. Ficou tão surpreso com a situação que, segundo nos é dito, gritou "Eureka! Eureka!" enquanto corria nu pelas ruas de Siracusa.

 

Foi este mesmo princípio que Arquimedes depois usou para saber a densidade da coroa, o que lhe resolveu o problema, mas esta mesma história também tem um aspecto muito menos conhecido - afinal de contas, era a coroa de ouro maciço ou não? Segundo Vitrúvio parece que o comerciante tinha mesmo enganado o rei, ficando com parte do ouro para si e fazendo a coroa com menos ouro e mais prata. Assim se resolveu o mistério!

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aqui fica um pequeno vídeo, em Inglês, acerca dessa criação nos mitos nórdicos.

(Legendas automáticas para o vídeo podem ser activadas clicando na roda dentada)

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog