Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Para terminar as celebrações, hoje trazemos cá uma obra pouco conhecida. Quando se pensa em literatura da Idade Média, pensa-se nas aventuras arturianas, num determinado conjunto de poesia amorosa e de criações cristãs e, para alguns, talvez até num derradeiro Dom Quixote de Cervantes. Mas, ao mesmo tempo, também existia um conjunto de criações medievais que já tentava, de certa forma, satirizar os outros conteúdos da época. Se nada sabemos sobre "Garin", suposto autor desta pequena obra (terá ele vivido no século XIII, como pensou um estudioso dos nossos dias?), O cavaleiro que fazia falar as vaginas [e os rabos] é, sem qualquer dúvida, uma dessas obras satíricas, cuja popularidade pode ser apreciada em sete manuscritos. Mas de que fala esta obra, afinal?

 

Apresenta-nos um cavaleiro que já tinha pouco dinheiro e passava fome. Quando o seu escudeiro viu três belas mulheres a tomarem banho, roubou as suas roupas, as quais pretendia vender num mercado próximo. Porém, o amo não o deixou fazer isso, optando por devolver as vestes às três desconhecidas. Depressa se revelaram fadas, e decidiram depois premiar aquele que as ajudou com três dons - a primeira, garantiu-lhe que ele viria a ser sempre bem recebido, onde quer que fosse; a segunda deu-lhe o poder de fazer falar as vaginas; a terceira deu-lhe o poder adicional de que, quando uma vagina não lhe pudesse responder, um rabo o faria.

O cavaleiro, tal como um potencial leitor, não pôde deixar de achar que estas mulheres/fadas só poderiam estar a gozar com ele, mas no desenrolar da aventura - que aqui omitimos, para não estragar a surpresa de potenciais leitores - é provada a completa veracidade das três promessas, levando o herói do seu infortúnio original até uma vida bem mais afortunada.

 

Mais que tudo, este texto goza com algumas das convenções literárias que esperaríamos encontrar em romances de cavalaria, só pecando pelo facto de ser muito curto - depois de ganhar os seus poderes, o cavaleiro apenas passa por duas breves aventuras antes do autor concluir as linhas que nos apresenta. Fora isso, tem até uma certa piada.

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog