Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mitologia em Português

15 de Junho, 2021

A censura no Sapo Blogs - mito ou realidade?

Celebramos a metade deste mês dedicado a temas nacionais com algo conspícuo - a censura no Sapo Blogs. Alegadamente não existe, nem aí nem em lado nenhum, até porque se alguma forma de censura existisse em Portugal ela violaria o artigo 37 da Constituição Portuguesa. Seria ilegal, e outras coisas que tais (como lemos recentemente), e poderíamos falar de Salazar, gritar "Liberdade, LIBERDADE!!!", e assim por diante. Portanto, convidamos quem ler estas linhas a considerar a vaga hipótese de que ela até possa existir, e o seu porquê. Leiam até ao fim, fica aqui o convite, até porque será interessante:

 

Há já uns bons anos notámos que, misteriosamente, as nossas publicações nunca apareciam nas respectivas listagens do Sapo Blogs, por muito que até tivessem as respectivas "tags" e fossem publicadas a altas horas da noite. Achámos estranho, contactámos os respectivos serviços e, curiosamente, não recebemos qualquer resposta (parece que é uma queixa muito comum). Na mesmíssima altura apontámos também que era estranho que alguns espaços andassem constantemente a ser promovidos, muitas vezes até duas e três vezes seguidas nas mesmas "tags", enquanto que outros nunca apareciam no mesmo local. A acusação não seria nova, mas o que é curioso é a forma como nessa altura um funcionário do Sapo Blogs, "Pedro", se defendeu da mesma, dizendo (e citamos, com ênfase a negrito da nossa parte):

A página da tag "25 de abril", tal como todas as outras páginas de tags, listam apenas um post por blog, de modo a que todos tenham oportunidade de ser listados. É assim desde o início do SAPO Blogs, há quase 14 anos. A partir do momento que o senhor publicou um segundo post com a tag 25 de abril, esse post saltou para o topo da página pública. (...) O SAPO Blogs é uma plataforma de publicação aberta a todos os que querem expressar a sua opinião. A censura não está nos nossos valores nem faz parte do nosso trabalho.

Ou seja, não há qualquer espécie de censura no Sapo Blogs. Não há, diz ele, que até sabe essas coisas. De facto, segundo é afiançado nessas linhas, uma pessoa não poderá ter duas páginas listadas ao mesmo tempo numa só "tag" (e muito menos três ou quatro). Não é possível, isto não acontece, de todo, como pode ser visto na imagem abaixo:

Censura no Sapo Blogs

O que se vê aqui é um milagre totalmente irrepetível, segundo o que "Pedro" afiançou, e que nunca aconteceu neste mundo desde o início do SAPO Blogs. "Que estranho!" E, ainda assim, quando lhes mostrámos este problema, com múltiplas imagens que o comprovavam, não obtivemos qualquer resposta. Acredite-se, portanto, que apesar de ser um "bug" muito recorrente até à presente data, não houve intenção de o corrigir, sem qualquer espécie de malícia. Esqueceram-se, só isso, casualmente promovendo alguns espaços várias vezes enquanto deixavam outros completamente de lado - acontece, nada de mais!

 

Saltemos então algum tempo. Em finais de Abril deste ano recebemos um e-mail bastante interessante que remetia os leitores para esta página, em que se diz que, ao abrigo de "critérios editoriais", determinadas páginas poderão (agora) não aparecer nas listagens públicas do portal, nomeadamente nas "Tags", "Últimos Posts", "Mais Lidos" e etc. Ou seja, não há qualquer censura no Sapo Blogs, há apenas um "critério editorial" - vagamente indefinido com "entre os motivos mais comuns para essa remoção", ou seja, os critérios apresentados na publicação deles não estão sequer completos - que pretende restringir a apresentação, por exemplo, de conteúdos "de terceiros", "potencialmente abusivos ou ofensivos", ou "que visam exclusivamente a promoção de serviços ou sites externos". Não é censura - se fosse, era ilícito! - é apenas, chamemos-lhe... uma ocultação contínua e deliberada de determinados temas e certos autores, enquanto se promovem constantemente outros, sem que seja revelado muito bem o porquê. E é aqui que as coisas se tornam muito, muito interessantes, como iremos ver.

 

Imagine-se então que têm um espaço no Sapo Blogs e gostariam de incluir lá alguma publicidade. Como o mesmo "Pedro" afiançou em 2017, "não é possível alojar ficheiros .txt em subdomínios do SAPO Blogs". Ou seja, não seria, segundo ele, possível associar um ficheiro ads.txt - tipicamente necessário para motivos de publicidade - num qualquer espaço da plataforma. Se, por exemplo, visitarem o nosso ads.txt original, ele está em branco. Como está o da maior parte de outros espaços. Assim, supõe-se que qualquer ads.txt estará, segundo o que ele disse, vazio, até porque não é possível adicioná-lo, ou pelo menos não aos comuns mortais. Porém, se procurarem bem encontram algo um tanto ou quanto estranho - apesar de supostamente isso não ser possível, alguns espaços do Sapo Blogs até têm esse ficheiro alojado, quando o "Pedro" disse que isso não era possível:

Ads.txt de espaços pertencentes ao Sapo Blogs

Estes dois exemplos (quem tiver tempo livre poderá encontrar mais), uma espécie de sapo escondido com a língua de fora, são repetidamente promovidos nas páginas da plataforma do Sapo Blogs ao abrigo desses tais "critérios editoriais", mas encontram-se intimamente associados ao próprio Sapo (para quem perceber menos destas coisas, é como se três pessoas fossem almoçar fora e pedissem três facturas com um mesmo número de contribuinte, mas depois quisessem argumentar que não se conhecem de lado nenhum). E sabemos que lhes pertencem porque não só a informação técnica de publicidade é semelhante à do portal principal, como até têm um ficheiro Ads.txt associado a eles - algo que, repita-se ainda mais uma vez, não é possível fazer, segundo o "Pedro", necessitando portanto de uma espécie de "cunhas" do lado da empresa, que obviamente não estão disponíveis para o autor comum. Assim, trocando por miúdos, quando potenciais leitores vão a esses espaços estão a ler conteúdos auto-promovidos pelo Sapo Blogs, em que promotor e promovido andam de braço bem dado. É como ter um amigo que diz sempre muito bem de um determinado restaurante, que nos garante que está sempre cheíssimo e serve a melhor comida do mundo a preços baixíssimos, mas que nunca nos refere que até é o patrão do espaço em questão. Espertalhão, não é?!

Os Mais Lidos do Sapo

Mas o que quer isto dizer? Imaginem-se dois espaços, X e Y. O primeiro tem 50 visitantes por dia, o segundo tem 1000. Este último tem, como é óbvio, um maior número de visitas. Porém, como não é aprovado pelos tais "critérios editoriais" da equipa, em alternativa o espaço "X" aparece no pódio do mais lidos em vez do "Y", dando a (falsa) ideia de que é mais lido do que o outro. Assim, é mais fácil promoverem-se determinados conteúdos face a outros, até porque têm muito mais a ganhar ao mostrarem aos leitores espaços como os dois apresentados acima, do que ao lhes exibirem os de um autor comum. Logo, claro que não há qualquer censura no Sapo Blogs, de todo - é como se fossem a uma livraria no tempo do Salazar, pedissem um determinado livro de História, a funcionária diz que não tem esse, mas que tem outro, que até tem vendido muito (e que, curiosamente, foi aprovado antecipadamente pelo Governo, não dizendo nada contra ele); e claro que vende muito, só pode vender, porque há pouca ou nenhuma competição por esse lugar! Não é censura, não, é.... chamemos-lhe "critério editorial".

 

Não estão convencidos? Acham que é pura coincidência, que os espaços até são muito lidos e, como tal, aparecem lá só mesmo por essa razão, sem falcatruas à mistura? Podemos tentar mostrar o contrário. Relembre-se que uma das regras, que até já citámos acima, restringe a apresentação "de conteúdos que visam exclusivamente a promoção de serviços ou sites externos". Está nas regras que o Sapo Blogs instituiu, é-o claro como a água. Ou seja, segundo essa mesma regra, uma publicação apresentada em uma daquelas páginas não poderia apresentar um conteúdo extensamente promotor como o seguinte:

Post Promovido por Sapo Blogs

Mas acontece, curiosamente... Por isso, repita-se - não há censura no Sapo Blogs. Não há! Há "critérios editoriais" que, certamente por acidente e bug informático e desconhecimento e má memória e mera coincidência e tudo o que possa ser argumentado para os isentar de possíveis culpas, fazem com que um dado espaço, previamente aprovado pela mesa censória da PI... perdão, pela respectiva equipa do site, seja muito frequentemente publicitado. Depois, esse espaço, previamente aprovado pela tal equipa, promove produtos, conteúdos e espaços externos encapotados sob a forma de conteúdos próprios, da seguinte forma:

Promoção de automóvel, promovida de forma encapotada no Sapo Blogs

Claramente, não há nada de errado ou potencialmente ilegal em nada disto. Nada, nadíssima, mesmo que ali as regras digam que este tipo de conteúdos não seria mostrado naqueles locais específicos. Isenção, imparcialidade, correcção, quem liga a essas coisas? Só falta mesmo depois um possível leitor abrir o portal das notícias do Sapo e, pela mais mera coincidência do universo e absolutamente nada mais, encontrar também lá publicidade à mesmíssima marca de automóveis - se até acontece, ou não, deixamos essa resposta a quem ler estas linhas.

 

Por isso, recapitule-se. O Sapo Blogs agora reserva-se o direito de escolher, ao abrigo de vagos "critérios editoriais", quem aparece nas suas listagens, inclusive definindo quem pode, ou não, aparecer entre os mais lidos e nas "tags", entre outros locais. Ao abrigo desses mesmos critérios, depois promove alguns espaços e oculta outros (i.e. um espaço com 6000 leitores pode não aparecer nos "Mais Lidos" e um com 60 poderá receber esse "galardão"). Em seguida, coloca-nos à frente do nariz, de forma repetida, espaços que lhe estão associados, pouco informando os leitores que promotor e promovido andam alegremente de braço dado*, pelo que as regras para os outros autores não se lhes aplicam em nada. Daí a uma muito conveniente sugestão para o amigo do lado, "amanhã escrevam sobre X porque o Sapo quer promover essa marca" vai um passinho muito pequenino... e se não sabemos até que ponto ele acontece, temos é a certeza absoluta de uma coisa muito simples - "não se morde a mão que nos alimenta", não é o que se diz?

 

Volte-se então, nas nossas imaginações, ao tempo de Salazar. Imaginem-se a entrar numa livraria e a querer comprar um livro de Karl Marx; vão à respectiva prateleira e por actividade da PIDE não está lá nada, apesar de ele ter escrito vários livros - a isso se chama censura.

Depois, voltem aos dias de hoje. Imaginem-se a querer ler algo sobre uma determinada derrota futebolística. Vão ali ao Sapo Blogs, clicam em "Tags", viajam até à tag respectiva, e por actividade da equipa do Sapo Blogs não encontram lá o que um vosso amigo escreveu sobre o tema - a isso se chama "critério editorial".

Não há qualquer censura no Sapo Blogs, é tudo mito. Censura é uma coisa do passado, Estado Novo e tal. "Censura" e "critérios editoriais" são duas coisas totalmente diferentes, não é?

 

 

P.S.- Ainda não estão mesmo convencidos de tudo isto? Recentemente apontámos à equipa do Sapo Blogs a legislação em vigor e pedimos explicações sobre tudo isto, até face ao problema de totalmente-não-censura que sofríamos há vários anos. Não responderam ao que perguntámos em concreto, nomeadamente em relação ao que compõe precisamente aqueles tais "critérios editoriais", mas após insistência lá recebemos uma mensagem interessante - "após análise técnica e editorial, foram implementadas as medidas necessárias para corrigir a situação [com o nosso espaço], sendo que o blog mitologias [sic] deverá ser visível nas listagens dos posts recentes." Que curioso... será que temos de estabelecer uma parceria com eles e, de repente, cada vez que chove intensamente lá nos promoveriam extensamente a Oração de Santa Bárbara? Fica a dúvida...

 

*- Para quem não o saiba, é por razões como essas que na televisão os programas costumam ter uma menção "publicidade" em instantes puramente publicitários, para que o telespectador saiba distinguir onde começam os conteúdos próprios do programa a que estão a assistir, muitas vezes de conteúdo factual,  e aqueles que surgem maioritariamente para promover terceiros, e.g. "O produto X é o melhor do mundo, mas estamos a ser pagos para dizer isto."

 

P.P.S- Hoje, a 24-6-2021, encontrámos mais um belo exemplo de publicidade encapotada. Então, o Sapo Blogs promove uma publicação que lhes pertence, de um daqueles locais referidos acima, e depois essa publicação promove muito casualmente uma determinada marca de automóveis. Aparentemente, aquela ideia de restringirem a promoção de "conteúdos que visam exclusivamente a promoção de serviços ou sites externos" só se aplica a quem não pertence à própria equipa deles... curioso, não é?

Publicidade encapotada no Sapo Blogs

Gostas de mitos, lendas, livros antigos e muitas curiosidades?
Recebe as nossas publicações futuras por e-mail - é grátis e irás aprender muitas coisas novas!

6 comentários

  • Imagem de perfil

    mitologia

    15.06.21

    Nestas coisas da censura, seja no Sapo Blogs ou seja onde for, não há o que gostar ou desgostar. É factual. E, nesse sentido, se alguém anda a promover repetidamente o conteúdo X face aos conteúdos Y e Z, os leitores devem, naturalmente, ser informados do porquê. É por isso que na Imprensa existe uma coisa chamada "Estatuto Editorial", para que, por exemplo, um jornal que tem ligações evidentes ao clube de futebol X não possa constantemente dizer mal do clube Y e, depois, assobiar para o lado e dizer que é imparcial e que onde há fumo não há fogo. Caso contrário, tudo o que é programa de televisão, de rádio, site informativo, etc, tornar-se-ia um antro de publicidade encapotada. O que, no mínimo dos mínimos, seria imoral.
  • Eu compreendo-o a já reparei o que meu blog não aparece nos últimos posts, e mais nunca apareceu em certos sítios mas como saberá o objectivo é tratar todos por igual! Por isso mesmo alguns estão frequentemente nesses sítios! E se for ver o meu blog, (mas como eu já respondi a um comentário seu noutro blog, talvez seja como outros que não o querem ver) vai perceber porque razão não aparece, é um blog que "mete o dedo na ferida".

    Mas vê um problema nos blog e não vê um outro bem maior na comunicação social. Temos censura disfarçada de vagos ou mesmo nenhuns "critérios editoriais". Falou aqui nos estatutos editoriais mas eles também são vagos. Lá eles comprometem-se a cumprir todas as regras e mais algumas, só não dizem que garantia temos que são cumpridas e a quem devemos recorrer caso sejam violadas.

    Você sabe como eles decidem o que devemos e o que NÃO devemos saber?
    Não sabemos, há falta de transparência, somos manipulados, temos censura.

    Mas pela forma como falou na Imprensa e pelos seu conhecimentos, há a possibilidade de ter algo a ver com a comunicação social e logo o assunto não lhe vai interessar. Espero estar errado.
  • Imagem de perfil

    mitologia

    18.06.21

    O que diz é verdade. Continua a haver uma censura encapotada na comunicação social. Há, e ainda é pior que a dos tempos de Salazar, por ser encapotada sob a ilusão de que ela não existe. "No contest there", como dizem os anglófonos. O problema, neste caso, é não só a fantasia de que não exista censura no Sapo Blogs, mas também o facto de existirem um conjunto de atitudes moralmente incorrectas por parte da respectiva equipa.

    Damos-lhe um exemplo demasiado esclarecedor. Num dado dia uma das nossas publicações teve, por si só, aproximadamente 15000 visitantes. Uma publicação de outro local teve cerca de 3000 visitantes. Como se explica que a primeira não aparecesse nos "Mais Lidos", enquanto que a segunda aparece recorrentemente? Será magia? É como aquilo que nos disse, das "últimas publicações" - se alguém publica uma coisa e ela não aparece lá, então aquilo não são "últimas publicações", mas algo muito diferente, algo como quando o santíssimo José Sócrates comprou os seus próprios livros para dizer que eles vendem muito - é desonesto, e ainda é mais desonesto que se escondam conteúdos para, de alguma forma, se exaltarem melhor e mais repetidamente conteúdos de terceiros, sem nunca se informar os leitores que, epá, se calhar X foi promovido porque pertence ao amigo da mesa do lado, como quando se vê a equipa a promover conteúdos de amigos deles, que - por mero acaso e mera coincidência, claro está - já foram funcionários do Sapo!
  • No inicio disse: "Celebramos a metade deste mês dedicado a temas nacionais com algo conspícuo - a censura no Sapo Blogs. Alegadamente não existe, até porque se alguma forma de censura existisse em Portugal ela violaria o artigo 37 da Constituição Portuguesa. Seria ilegal, e outras coisas que tais (como lemos recentemente), e poderíamos falar de Salazar, gritar "Liberdade, LIBERDADE!!!", e assim por diante".

    Agora imagine isto aplicado à comunicação social, consegue imaginar a dimensão e a gravidade do problema?

    Tem razão, temos censura encapotada para não sabermos. E isto significa que estamos mal na liberdade de imprensa. Mas se for ver os índices de liberdade de imprensa cá, são dos melhores! Censura é problema, auto-censura não!
    E a quem podemos recorrer para denunciar esta censura encapotada?

    Certamente saberá quais são algumas das grandes preocupações actuais. Temos prioridades invertidas e manobras de diversão.
    Veja "Os deputados são desumanos", pois alguns preocupam-se muito com os animais e outras coisas.
    https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/os-deputados-sao-desumanos-272520
  • Imagem de perfil

    mitologia

    19.06.21

    Isso é uma boa questão, mas infelizmente é também uma à qual não temos uma resposta concreta para lhe dar. Quer dizer, o problema já vem de todo o contexto de Portugal e desde uma tenra idade. Mesmo que, em tempos de escola, os alunos sejam informados de que existiu censura em Portugal - "existiu", no pretérito perfeito, por oposição a "existe", como no presente oferecido pela censura no Sapo Blogs - eles nunca são informados seja sobre os limites dessa potencial censura, ou as razões para tal. Por exemplo, no estudo dos "Lusíadas", para dar aquele que é provavelmente o exemplo literário nacional mais famoso, nunca é explicado que a obra foi motivo de censura, nem quais foram os versos que motivaram essa acção, numa obra que, ao cidadão comum, não pareceria ter absolutamente nada de errado.
    Ora bem, nesse sentido, se os alunos nunca são informados sobre sequer a potencial realidade de tudo isto - seja a censura no Sapo Blogs, ou alguma outra com outros contornos - jamais a poderão saber reconhecer com os seus próprios olhos, porque nem sequer se admitem que essa realidade seja possível, como no caso da Negação do Holocausto ( https://www.mitologia.pt/a-negacao-do-holocausto-e-a-censura-dos-321935 ), que é muito ridicularizada em determinadas culturas, mas sem que nunca sejam apresentados os seus argumentos - isso porque fazê-lo implicaria um problema, o de que pelo menos uma pessoa dissesse a si mesma "epá, isto até pode fazer algum sentido".
    Para terminar, se os mais jovens nem sequer sabem muito bem o que é a censura, isso impede-os de que a consigam reconhecer. É como verem um Gambuzino numa floresta - não o sabem reconhecer e, como tal, não sabem o que podem ter visto. E, sem isso, a censura pode andar à vontade vontadinha aí pelo mundo fora...
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.