Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Normalmente não abordaríamos estes temas, mas dada a gravidade do que aconteceu em Paris nas últimas horas decidimos recordar um incidente passado em Portugal no já-distante século XIX.

Nessa altura, o Mosteiro dos Jerónimos tinha estado abandonado durante vários anos, após a expulsão das ordens religiosas de Portugal. Decidiu começar-se a utilizá-lo para outros fins, e então tentou-se renovar e melhorar todo o edifício. Mas depois, na manhã de 18 de Dezembro de 1878, aconteceu o seguinte:

Mosteiro dos Jerónimos Danificado

No acidente faleceram oito trabalhadores. Acabou por se votar contra a reconstrução do edifício como este estava planeado, mas a realidade é que o Mosteiro dos Jerónimos, com ligeiras alterações, ainda chegou aos nossos dias e é famoso entre todos nós.

Entrada do Museu Nacional de Arqueologia

Como o nosso Mosteiro dos Jerónimos, é possível que também a bela Catedral de Notre-Dame (de que até já cá falámos de um segredo) volte a ter vida um dia. Já não será como antes, mas... há que ter esperança no futuro!

Licença Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.04.2019 às 19:47

E o "nosso" incêndio do Chiado em 1988. Já não se lembram. Levou muito tempo a reconstruir, ficou diferente, perdemos lojas riquissimas mas a Rua do Carmo ficou no seu espaço melhor do que era!
Imagem de perfil

De alguém a 17.04.2019 às 01:49

Sinceramente, não achamos que seja comparável. Se o Chiado foi, com certeza, uma perda significativa para a cidade de Lisboa, em nada se compara com o valor artístico, cultural e religioso de um local como a Notre-Dame.
Imagem de perfil

De Mãe Maria a 16.04.2019 às 12:19

tb me lembrei dos nossos e de outros incêndios quase fatais e de como renasceram das cinzas. Mas nada será igual ao antes.
Imagem de perfil

De alguém a 16.04.2019 às 16:43

Cara leitora, isso é verdade, sim. Mas ao mesmo tempo, pensamos que é melhor esse "renascimento das cinzas" do que um desaparecimento completo.

Para darmos um exemplo, é provável que já tenha ouvido falar das Sete Maravilhas do Mundo [Antigo]. Quem escreveu sobre elas dizia que a mais bela de todas era o Templo de Artémis em Éfeso - parafraseando, "quando vi o Templo de Artémis que chega ás nuvens, todas as outras [maravilhas] foram postas à sombra, pois o próprio sol nunca olhou para um seu igual fora do Olimpo" - e dele hoje apenas nos chegaram duas pequenas colunas de mármore. Quão triste seria se o mesmo acontecesse à Notre-Dame de Paris!

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog