Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mitologia em Português

Em dia de Santo António nada como recordar a outrora famosa Oração de Santo António para Encontrar Objetos Perdidos. Se hoje ela já está muito esquecida, como outras orações populares nacionais, ainda existem idosos que a procuram, normalmente quando querem encontrar algo que perderam em suas casas. Note-se que esta oração já aparecia, com propriedades que se criam mágicas, atestada em finais do século XVII, altura em que uma tal Ana Martins, acusada de feitiçaria perante a Inquisição, a usava para ajudar aqueles que procuravam coisas perdidas. Já nessa altura a oração se encontrava associada ao santo lisboeta, de que cá contámos uma de muitas lendas anteriormente. E então, esta oração, na versão apresentada no interrogatório de Ana Martins, diz-nos o seguinte:

A Oração de Santo António para Encontrar Objetos Perdidos

Milagroso Santo António,
Pelo hábito que vestiste
Pelo cordão que cingiste
Pelo breviário que rezaste
Pela cruz que tomaste
Pelo Senhor que levantaste
Por aqueles três dias
Que no horto de Jesus
Em busca do Breviário andaste,
Pelo contacto que de Jesus tiveste;
Que nos seus braços se foi sentar,
Pelo rico sermão
Que na cidade de Pádua estava pregando,
E revelação
Que tiveste que levavam vosso pai
À força por sete sentenças falsas,
E delas o livraste,
Enquanto a gente rezava a "Avé Maria",
E o vosso rico sermão acabaste,
Assim vos peço P. S. António
Façais aparecer o que se furtou [/ou perdeu].
Amén.

 

É curioso constatar que esta Oração de Santo António para Encontrar Objetos Perdidos faz breves menções à vida do próprio santo. Existem (muitas) outras versões, algumas das quais nem contêm esse elemento específico, mas esta versão prima pelo facto de ter sido comunicada à Inquisição durante um julgamento por feitiçaria, como já referido antes, dando-nos a entender que quem a dizia tinha plena confiança nos poderes místicos deste conjunto de palavras. Mas... será que funciona, ou nem por isso? Não fomos tentá-lo, mas fica esse convite, para quando perderem alguma coisa. Em pior dos casos, nada acontece; no melhor, reencontram o que perderam sem muita dificuldade. Se assim o for, agradeçam ao santo e avisem-nos também, para atestar - ou, pelo contrário, negar - o seu alegado poder.

Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.