Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mitologia em Português

07 de Dezembro, 2021

É Santo António de Lisboa ou de Pádua?

Talvez o tema até destoe nesta altura do ano, mas afinal... de onde é Santo António, de Lisboa ou de Pádua? Quando se faz uma procura online pela famosa figura, a maior parte das fonte estrangeiras refere-se a ele como António de Pádua, enquanto que as nacionais lhe chamam sempre António de Lisboa. Mas, a existir uma designação certa para este santo, qual será mesmo ela?

Santo António de Lisboa ou de Pádua?

Em relação a esta questão significativa, o grande problema nunca foi responder a ela, mas sim conseguir descobrir o que as fontes mais antigas revelavam sobre a vida desta figura santa. Inquirimos, aqui e ali, sobre ele, até mesmo em mosteiros e conventos dos nossos dias, mas ninguém nos sabia dizer qual a vita mais antiga existente para esta figura. Só agora, após anos de pesquisa, é que conseguimos encontrar uma obra nacional cujo título completo é Beati Antonii Vita Prima, seu Legenda 'Assidua', que é, como o próprio nome latino indica, a primeira de todas as versões literárias de uma vida de Santo António, e que supostamente foi escrita poucos anos depois da sua morte, talvez até por volta do ano de 1232.

Esta Legenda 'Assidua' pode ser dividida em três partes - um relato sucinto da vida do santo; um breve reconto do que aconteceu com o seu corpo após a morte; e finalmente uma (longa) descrição dos muitos milagres que esta figura realizou quando abandonou o mundo dos vivos, curiosamente organizados em função das maleitas que curou. Naturalmente que, face aos seus conteúdos, a primeira das três sequências é a mais importante para o tema de hoje - assim sendo, pergunte-se, será que é Santo António de Lisboa ou de Pádua?

 

A questão torna-se muito fácil de resolver se aqui fizermos um pequeno resumo da vida do santo, que se baseia exclusivamente nessa primeira fonte literária:

Ele nasceu na cidade de Lisboa, os pais deram-lhe o nome de Fernando, e ele estudou na mesma cidade, na Igreja de Santa Mãe de Deus. Depois, entrou para a Ordem de Santo Agostinho e foi para o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Juntou-se à Ordem dos Frades Menores, com intenção de ir para África e ser mártir; foi nessa altura que mudou de nome, para "escapar" dos assédios dos seus familiares. E se até foi para África, como pretendia, por razões de saúde teve de voltar à pátria, mas nessa altura os ventos marítimos (ou a vontade divina, se assim o preferirem), afastaram o seu caminho para terras de Itália. Tendo-lhe sido pedido que ficasse nesse país, depois de ir a muitos outros locais estabeleceu-se finalmente em Pádua e pregou por lá, até que foi viver para uma cela na zona de Camposampiero. Viria a falecer nessa região italiana a 13 de Junho de 1231*.

 

Face a este breve resumo, a resposta que procuramos é fácil - se Santo António nasceu na cidade de Lisboa, as suas aventuras religiosas acabaram por levá-lo para Pádua, e foi nessa cidade que teve a sua maior fama, que faleceu, e em que parece ter realizado os muitos milagres que lhe garantiram a santidade. Portanto, não é correcto atribuí-lo a uma cidade ou a outra - ele pertence a ambas de forma diferente, já que nasceu numa, mas depois se popularizou e até faleceu noutra.

 

Mas toda esta história de hoje, relativa às duas grandes cidades da vida de Santo António, ainda não fica por aqui. Não existe, pelo menos nesta primeira biografia do santo, nenhum momento que o coloque com o menino ao colo - é uma tradição mais tardia, que diz que um outro monge o viu, durante a noite, acompanhado no seu quarto por um Cristo-menino esvoaçante (mas seria difícil representar isso numa imagem física, pelo que este menino foi colocado ao colo do santo). Também aqui nada parece associá-lo à famosa oração para encontrar objectos perdidos - é provável que se trate igualmente de um elemento que só mais tarde foi associado a esta figura. É assim verosímil que os eventos que lhe estão associados, bem como as virtudes do seu culto, tenham evoluído ao longo dos séculos - já cá apresentámos um exemplo dessa evolução, no caso de Santa Iria - até chegar à forma como os conhecemos hoje. Mas as duas cidades da vida do santo, Lisboa e Pádua, nunca deixaram de lhe estar associadas...

 

 

*- É por isso que tanto em Lisboa como em Pádua este santo tem a sua festa no dia 13 de Junho!

Gostas de mitos, lendas, livros antigos e muitas curiosidades?
Recebe as nossas publicações futuras por e-mail - é grátis e irás aprender muitas coisas novas!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.