Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mitologia em Português

Mitologia em Português

26 de Junho, 2005

O mito de Pigmalião e Galateia (e sua interpretação)

Hoje conto aqui o mito de Pigmalião e Galateia, seguido por uma sua possível interpretação:

Talvez uma das lendas de amor mais inverosímeis e estranhas da época clássica seja a de Pigmaleão e a sua estátua favorita [que viria a ficar conhecida como Galateia]. Segundo a tradição popular, Pigmaleão era um soberano cretense, amante da escultura: dedicava todo o seu tempo livre a lavrar a pedra, até que um dia encontrou que tinha esculpido uma figura feminina tão bela que já nunca pôde separar-se dela. Até rogou, e invocou, os deuses do Olimpo para que lhe permitissem casar com aquela estátua de pedra que, de resto, era uma fiel reprodução da deusa Vênus e, por isso mesmo, tinha que ser a deusa quem decidisse o que havia que fazer a esse respeito. Passava o tempo e Pigmaleão sentia-se cada vez mais atraído por aquela efígie que considerava a sua obra mestra. Estava já como transtornado e pedia insistentemente à própria Afrodita /Vênus que lhe procurasse, para a fazer sua esposa, uma mulher idêntica à que ele tinha feito de mármore. Um dia que Pigmaleão se encontrava ensimesmado olhando aquela obra observou que se movia e que descia do seu pedestal de mármore e se aproximava ao seu criador com a mesma forma de um ser vivo. Sem sair do seu assombro, Pigmaleão viu-se em braços daquela mulher que era uma réplica fiel da estátua que ele tinha esculpido. O que é que tinha sucedido? Pois que a deusa Afrodita /Vênus tinha decidido dar satisfação a Pigmaleão e, para isso, nada melhor que converter a sua estátua numa mulher real, à qual se imporá o nome de Galateia. Depois dos acontecimentos mencionados, Pigmaleão e Galateia casaram, viveram felizes e tiveram uma filha chamada Pafo; esta era tão bela que até o próprio Apolo a pretendeu.

(Retirado de um site que em 2019 já tinha desaparecido)

 

Tal como na famosa história de Shakespeare, "Romeu e Julieta", este mito começa por nos apresentar um amor impossível, a paixão entre um homem e uma estátua, considerada pelo mesmo como a sua obra prima. Então, será que o próprio amor não deverá também ele ser considerado como a melhor das obras, a possibilidade do encontro de uma pessoa que nos compreende e auxilia acima de tudo o resto? Também este, como a possibilidade da transformação de uma estátua em carne viva, é hoje consideradada como muito difícil, ou mesmo impossível. No entanto, tal como o sonho de Pigmaleão se tornou realidade através de uma contínua insistência na crença de uma impossível possibilidade, também cada um de nós deverá agarrar-se aos seus sonhos e lutar por eles. Talvez seja essa a verdade por trás a do mito, que tudo poderá ser vencido ou conseguido através de uma crença contínua, sincera em algo. Tal como Pigmaleão lutou, lutem também vocês pelo que querem.

~~~~~~~
Gostas de temas como este? Podes seguir-nos no Twitter, ou receber as nossas novidades no teu e-mail de uma forma simples, rápida e gratuita!



Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.