Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Aqui fica mais um pequeno e sucinto vídeo sobre a Antiguidade, desta vez apresentando uma pequena história daquilo a que hoje chamamos Império Bizantino.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Semelhante ao que publicámos a semana passada, aqui fica um pequeno vídeo animado sobre a via diária de um ateniense.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aqui fica um pequeno vídeo animado (em Inglês) que mostra um pouco da vida diária de um soldado romano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este pequeno vídeo mostra o potencial genérico de uma série anime japonesa sobre o Império Bizantino. Claro que é falso, mas levanta uma possibilidade muito intrigante, que, um dia, talvez até venha a ser tornada realidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este filme passou recentemente na televisão portuguesa, no canal "Cinemundo", sob o nome "Odisseu e a Ilha da Neblina". A sua trama é relativamente simples, apresentando o herói titular nessa misteriosa ilha aquando do seu regresso a casa. São recordados alguns dos episódios da Ilíada e algumas das viagens da Odisseia, mas a história é totalmente nova, apresentando dois elementos dignos de referência.

 

Homero surge aqui não só como um narrador, mas também como um personagem que, na sua juventude, participou nas próprias viagens de Odisseu, que tentou documentar. Se ele não tem qualquer acção crucial no desenvolvimento da aventura, limitando-se repetidamente a referências como "tenho de documentar isto", a ideia desta figura como personagem nas aventuras dos poemas homéricos não é nova - já várias autores da Antiguidade diziam que Homero era familiar de Odisseu, razão pela qual o tinha elogiado tanto nos seus poemas.

 

Ademais, sem querermos contar demasiado da história, ela explica a origem dos vampiros, justificando, por exemplo, o facto de estas criaturas não gostarem da luz solar ou temerem a cruz. Estranhamente, se a trama também faz muitas outras alusões ao Cristianismo - uma personagem chamada "Cristus" parece temer a crucificação; num dado momento podem ouvir-se vagas entoações do cântico "Agnus Dei"; etc. - estas nunca levam a nenhum lado significativo.

 

Este não é, indiscutivelmente, um bom filme, mas poderá agradar àqueles que tiverem 90 minutos livres e quiserem conhecer mais uma história miticamente inesperada.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.
Licença Creative Commons



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog