Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Há pouco mais de quatro anos foi por aqui deixada uma pequena referência ao xadrez. Certamente que continha alguns factos interessantes, mas não estavam completos. É nessa sequência que aqui mencionamos agora o livro A history of chess, de Harold Murray, que pode ser obtido gratuitamente nesta página. O principal ponto atractivo da obra prende-se essencialmente com o facto de apresentar uma história completíssima - arriscamo-nos a dizer... em alguns pontos talvez até completa demais? - deste jogo, desde os seus primórdios na Índia e na Pérsia até às evoluções "mais recentes". É o livro perfeito para todos aqueles que gostem de xadrez e que queiram aprender muitos outros factos como aqueles que anteriormente cá deixámos!

 

Para quem não tiver muito interesse nesse livro, deixamos apenas aqui um outro facto curioso - se hoje se diz "xeque-mate" quando um jogo está prestes a ser ganho, a expressão vem originalmente da língua persa, em que shah mãt significava algo como "o xá [peça equivalente ao nosso rei] está derrotado".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fotografia de Anne Frank

O Diário de Anne Frank é possivelmente um dos mais famosos livros produzidos no contexto da Segunda Guerra Mundial. Quem tiver coragem de o ler tal como foi produzido - um simples diário de uma menina de 14 anos que, mesmo num período de guerra, tentou simplesmente continuar a viver a sua vida - acabará, se tiver no seu peito um mínimo de humanidade, por verter algumas lágrimas. É um livro que deveria ser lido por todos aqueles que pensam começar um guerra - certamente que cedo desistiriam da ideia!

 

Mas... o que poucos saberão, ainda assim, é que Anne Frank tinha interesse na Mitologia Grega e Latina. Salvo uma excepção relativa às lendas holandesas, ela nunca diz que obras tinha lido sobre o tema, mas sabemos que numa dada altura recebeu "um grande livro" sobre ele. Também se disse capaz de nomear as nove musas, os sete amores de Zeus e as esposas de Hércules. Numa dada altura estava a estudar os mitos e histórias de Teseu, Édipo, Peleu, Orfeu, Jasão, Hércules, Míron e Fídias.

Mas, curiosamente, também os adultos que a conheciam achavam estranho esse seu interesse, caracterizando-o como puramente "um interesse passageiro". Quantos de nós não ouvimos também essas mesmas palavras?!

 

Não podemos, enquanto membros de uma mesma humanidade, senão chorar a existência de pessoas como as que levaram Anne Frank à sua morte. Se, como dizia Cícero no seu livro Sobre a Velhice, existir um outro mundo depois deste, em que conhecemos todos aqueles que viveram antes de nós, esperamos um dia ter a oportunidade de falar com ela sobre temas como estes, por demasiado redutor que isso possa parecer ao leitor comum.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há umas semanas atrás celebrou-se mais um aniversário da chegada de Vasco da Gama à Índia. Mas, realisticamente, como podemos ter a certeza de que o navegador chegou mesmo a Calecute a 17 de Maio de 1498? Ou, de uma forma muito mais geral, como podemos nós ter a certeza de que qualquer cronologia do passado está mesmo correcta?

 

Muitos foram os autores que ao longo dos séculos se dedicaram a esse problema, chegando a opiniões mais ou menos lógicas. Existem, por exemplo, autores que argumentam que a Antiguidade nunca existiu, tendo sido "falsificada" durante a Idade Média; outros dizem que nada existiu antes do nosso nascimento, sendo todo o conhecimento uma espécie de ilusão. Seria interessante que fossemos escrever sobre isso, mas por agora foquemo-nos numa obra pouco conhecida, The Chronology of Ancient Kingdoms Amended, da autoria de Isaac Newton, a mesma figura muito mais conhecida pelas suas conquistas na área da Física.

 

Então, nesta obra o autor argumenta que existiu um erro nas cronologias da Antiguidade. Ao longo de vários capítulos percorre diversas civilizações e diz-nos, afinal de contas, como os eventos tomaram lugar, explicando, por exemplo, que terá existido um erro na contagem dos anos que cada reinado teve. Seguindo uma lógica que nem sempre é muito fiável, numa prosa enfadonha e que poucos terão interesse em ler, como que revela a verdade dos acontecimentos, humanizando a mitologia dos Gregos e dos Romanos. Claro que a ideia não era nova - já vinha até dos tempos da Antiguidade! - mas é curioso que um cientista tão eminente se tenha focado numa tarefa como esta, mesmo que a obra só tenha sido publicada após a sua morte.

 

É, então, a cronologia de Newton, que se propaga até à morte de Alexandre Magno, fiável? Certamente que não, não é sequer necessário grande conhecimento histórico para encontrar múltiplos problemas nas ideias aqui defendidas, mas pelo menos apresenta uma cronologia que faz algum sentido, do ponto de vista teórico. E, se não sabemos até que ponto Vasco da Gama terá mesmo chegado à Índia numa determinada data, pelo menos uma certeza podemos ter - foi após a sua partida de Lisboa, por muito que autores como Fomenko queiram tentar discordar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há algumas semanas uma leitora revelou-nos que chegou a este espaço através das obras de Paracelso. Na altura prometemos-lhe que iríamos escrever sobre pelo menos um dos textos desse autor, mas cedo nos deparámos com a dificuldade em encontrar uma (boa) edição moderna dos mesmos. Acabámos por nos ficar por Paracelsus - Selected Writings, que apresenta algumas das suas ideias em relação a diversas questões filosóficas, mas que também quase nada nos diz sobre os temas que mais o popularizaram, como a medicina, a astrologia ou a alquimia. De facto, não é uma obra que, a nosso ver, capte a verdadeira importância do autor. Por isso, se alguém conhecer (boas) edições das obras de Paracelso, por favor deixe aqui um comentário com essa informação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este livro de Elaine Pagels é uma simples e justa introdução aos textos que ficaram fora do cânone bíblico, com especial ênfase naqueles que foram reencontados em Nag Hammadi. É muito simples, sendo por isso particularmente indicada para todos aqueles que querem aprender um pouco mais sobre o tema, mas sem terem de - pelo menos por agora - deambular na grande complexidade do conteúdo de alguns textos gnósticos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Espaço da autoria de Ovídio Silva (Doutorando em Clássicas), e de um anónimo interessado nestes temas.
Licença Creative Commons



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog